quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Música Nerd #3: Johan Sebastian Bach


 Quinta-feira é dia de Música Nerd. E hoje, nós iremos falar sobre um dos maiores compositores do período barroco, aquele que todos relacionam com o citado período e vice-versa. Atendendo a pedidos, o post de hoje é sobre ninguém menos que Johan Sebastian Bach.

Um pouco de história

 Nascido a 21 de março de 1685, Bach foi um dos maiores compositores de todos os tempos e é considerado o maior do período barroco. Sua família toda era de músicos e seu pai o ensinou o que pôde enquanto pôde, visto que faleceu quando o jovem Johan tinha apenas 10 anos, um ano depois da morte de sua mãe. Bach, então, foi morar com seu irmão dezesseis anos mais velho, Johan Christoph Bach, com quem continuou a aprender música. Durante sua carreira, foi organista, Kappelmeister (mestre de capela) e Kantor (diretor de música). Ao fim da vida, Bach foi perdendo gradativamente a visão até ficar totalmente cego.


Um pouco de música

 Este grande mestre da música erudita detém uma obra tão grande e todas tão belas que fica difícil citar algumas peças. As peças mais famosas talvez sejam os prelúdios e fugas do livro "O Cravo Bem-Temperado", que apresenta um prelúdio e fuga para cada tom maior e menor, num total de 48 peças. Outras obras bem conhecidas são algumas invenções a duas vozes, além das peças de "O Pequeno Livro de Anna Magdalena Bach", criado para sua segunda esposa. No entanto, talvez sua obra mais conhecida seja esta tocata e fuga em ré menor para órgão.



 Outras obras ficaram bastante famosas, especialmente na área da música sacra, tendo sido ele um crente luterano, especialmente as paixões segundo São Mateus e São João, compostas para a sexta-feira da paixão. No entanto, uma de suas obras viria a ganhar sua famosidade bem depois de sua morte, com uma letra que ele, evangélico conservador, jamais teria aceitado. Trata-se do prelúdio em dó maior do livro "O Cravo Bem-Temperado", mais conhecido como Ave-Maria, de Charles Gounod.



 Uma outra obra não tão conhecida, mas igualmente bela, talvez seja este concerto em mi maior para violino, cujo primeiro movimento é tocado abaixo.



Algumas curiosidades


  • Apesar de hoje ser considerado o maior compositor do período barroco e um dos maiores da história da música, Bach não alcançou este reconhecimento em vida. Até sua morte, era considerado apenas organista virtuoso e consultor para construção de órgãos. Suas obras só se tornaram relativamente famosas muito depois de sua morte.


  •  Bach teve sete filhos com sua primeira esposa, Maria Barbara, que era também sua prima, e treze com a segunda, Anna Magdalena, com quem casou-se um ano após a morte de Maria Barbara.


  • Sempre interessado em aprender cada vez mais, Bach não poupava esforços para avançar seus conhecimentos. Conta-se que certa vez, antes de completar 13 anos, ele pediu um livro emprestado ao seu irmão mais velho, Johann Christoph. Como este lhe negou, habilmente o menino encontrou uma solução para resolver o problema. Assim, todas as noites após irem se deitar, ele pegava o livro de música e varava madrugadas estudando. Como não podia acender velas para não chamar a atenção do irmão, por muito tempo estudou tendo como única claridade a luz da lua. Esse costume de transcrever obras na escuridão, aliás, perdurou por toda sua vida. Um esforço que certamente contribuiu para a sua completa cegueira.


  • Nascidos no mesmo ano e considerados os compositores alemães mais famosos da época, Bach e Handel viveram uma infeliz coincidência. Nunca se conheceram pessoalmente, mas ambos tiveram um destino parecido: quase cegos, foram operados pelo mesmo médico, o inglês ambulante John Taylor. No entanto, as cirurgias de ambos não foram bem-sucedidas e, pelas mãos de um charlatão, eles ficaram completamente cegos. No caso de Bach, a cirurgia não apenas se revelou inútil como contribuiu para agravar o seu estado geral e provocar um segundo ataque de apoplexia, privando-lhe os sentidos e movimentos. 


  • As peças de Johann Sebastian Bach estão catalogadas com os números BWV, sendo que BWV significa Bach Werke Verzeichnis (Lista das Obras de Bach). Compilado por Wolfgang Schmieder, o catálogo foi publicado em 1950. Uma variante desse sistema usa o S (de Schmieder) no lugar de BWV, para identificar o autor do sistema de numeração.
  • 5 comentários:

    1. Legal o post! Já foi publicado! Sabia que o prêmio aumentou? Agora são R$ 1.000,00!
      Obrigado por colocar a troca de links
      Abraço.
      Antoani/Equipe Link Premiado
      http://www.linkpremiado.com.br

      ResponderExcluir
    2. É sempre muito bom ler artigos de qualidade como esses que voce publica. Continue assim. FUI...

      ResponderExcluir
    3. muito legal essa sua iniciativa de falar sobre os grandes compositores clássicos.
      curti demais o seu blog, parabéns :)

      ResponderExcluir
    4. Muito bom seu post
      Bach certamente foi um dos maiores compositores...
      E infelizmente não conhecemos todas suas obras, ja q apos sua morte alguns de seus filhos venderam grande parte...

      ResponderExcluir
    5. nossa, mudou minha vida saber o que significa BWV (não estou sendo irônico, eu realmente tinha essa dúvida, hahaha)

      gostei do post. Ele é um dos maus favoritos. Faltou citar a Aria, minueto em G e tantas outras!

      Falow!

      ResponderExcluir

    Regras para um blog melhor:

    1) Não poste comentários ofensivos e nem que contenham palavrões ou qualquer tipo de conotação sexual;
    2) Não será tolerado qualquer tipo de preconceito;
    3) Não floode;
    4) Não anuncie seu site aqui. Nós temos uma área de parceiros dedicada a você. Contate-nos pelo formulário de contato;
    5) Seja educado e use o bom senso.