quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Música Nerd #4: Scorpions


 Hoje é quinta-feira e quinta-feira é dia de Música Nerd! Nas semanas anteriores, você teve a oportunidade de ler um pouco sobre três grandes nomes da música erudita. Hoje, no entanto, vamos caminhar por novos terrenos, pular algumas épocas, e pousar diretamente nos anos 1970. Hoje, portanto, vai ter rock'n'roll no Música Nerd! Para falar um pouco de rock, nada melhor do que esta que é uma das melhores bandas de rock do mundo e também uma das mais renomadas: Scorpions.

Um pouco de história

 Foi no ano de 1965, na Alemanha Ocidental, que tudo começou. Os irmãos e guitarristas Michael e Rudolf Schenker decidiram montar uma banda e, para isso, convidaram os amigos  Klaus Meine, como vocalista, Lothar Heimberg, no baixo, e Wolfgang Dziony, na bateria. Com essa formação, lançaram o primeiro álbum, Lonesome Crow, em 1972. O sucesso foi grande, mas diversas reviravoltas acabaram por separar o grupo. Hoje, apenas Rudolf Schenker e Klaus Meine continuam da formação original, mas a banda já contou com diversos nomes, como Uli Jon Roth, Francis Buchholz, Ralph Rieckermann, Ken Taylor, Achim Kirkhoff, Jürgen Rosenthal, Rudy Lenners, Herman Rarebell e Curt Cress, e hoje conta com Matthias Jabs, Paweł Mąciwoda e James Kottak, como guitarrista, baixista e baterista, respectivamente.


Um pouco de música

  É difícil falar de Scorpions sem lembrar da música Rock you like a Hurricane. Música esta, que já conta com, pelo menos, três versões: a original, uma acústica e uma junto com a Orquestra Filarmônica de Berlim, num encontro que ficou conhecido como "uma das melhores bandas do mundo tocando com uma das melhores orquestras do mundo". Versão, essa, que você confere abaixo.



 Uma outra música bastante conhecida da banda (e também uma das clássicas) é Wind of Change. Nesta música, além de cantar, Klaus assovia uma parte da melodia, o que dá um clima todo especial à música.



 Por fim, uma música bem recente é a Sting in the Tail, lançado no álbum de mesmo nome. Sting in the Tail é, também, o álbum anunciado como o de encerramento da carreira, o último da banda. Foi lançado em março deste ano.



Algumas curiosidades

  • Formados em 1969, os Scorpions passaram os primeiros 18 anos da sua carreira sem conseguirem vingar nos EUA, embora fossem já bastante populares na Europa e Japão. Apenas com o lançamento do álbum Love at First Sting, a banda conseguiu agarrar as audiências americanas.  

  •  A banda foi o primeiro grupo ocidental a tocar na ex União Soviética e, em 21 de Julho de 1990, foram convidados a participar no espectáculo de Roger Waters, The wall in Berlin, juntamente com outros convidados como Van Morrison e Bryan Adams. 

  •  Nos discos Fly To The Rainbow e In Trance, é possível perceber que algumas músicas possuem teclados. Nesse caso, o tecladista aparece como músico adicional. O músico em questão é Achim Kirschning.

  •   Quando a banda viu a capa de Virgin Killer pela primeira vez, ficaram chocados por causa da garota nua e ficaram em dúvida se usariam mesmo aquela capa ou não. Então, resolveram usá-la justamente por ser chocante. Os fãs adoraram, mas a crítica caiu matando. Segundo Klaus Meine, hoje em dia ele acha que a capa foi um pouco "exagerada" pra época. Segundo ele, o significado da capa vai muito além da nudez na menina. Ele diz: "As crianças crescem e, como adultos, perdemos nossa inocência". Ou seja, analisando a letra de Virgin Killer, na parte "he's a virgin killer" (ele é um "assassino de virgens" ou "é um assassino da virgindade") pode ser encarado segundo a afirmativa de Klaus Meine: que, quando crescemos, acabamos "sacrificando" nossa inocênica e pureza de quando éramos crianças. 

  •  Ao contrário do que muitos dizem, o Scorpions não gravou o Moment Of Glory com a Orquestra Filarmônica de Berlim pra ir no embalo do disco S&M do Metallica, que foi gravado com uma orquestra sinfônica de São Francisco. Segundo Klaus, a orquestra alemã é que convidou o Scorpions para um projeto e isso foi em 1995. Em 1996, o Scorpions e a Filarmônica de Berlim começaram a fazer alguns testes e até gravações juntos. A princípio, o maestro escolhido pra trabalhar com o Scorpions e a orquestra nesse projeto seria Michael Kamen, mas, quando a banda viajou pra gravar o álbum Eye To Eye, Michael Kamen foi para os EUA e gravou o projeto com o Metallica, o que fez o Scorpions procurar outro maestro, nesse caso, o austríaco Christian Kolonovits.
  • Um comentário:

    1. Seu post já foi publicado!
      Atenciosamente.
      Antoani/Equipe Link Premiado
      http://www.linkpremiado.com.br

      ResponderExcluir

    Regras para um blog melhor:

    1) Não poste comentários ofensivos e nem que contenham palavrões ou qualquer tipo de conotação sexual;
    2) Não será tolerado qualquer tipo de preconceito;
    3) Não floode;
    4) Não anuncie seu site aqui. Nós temos uma área de parceiros dedicada a você. Contate-nos pelo formulário de contato;
    5) Seja educado e use o bom senso.